Todos os posts de Redação Portal Agora é Simples

Portal de notícias focado em inovação na mobilidade urbana e no transporte público.

Agora é simples com ONBOARD #45

Dá pra continuar sem o auxílio emergencial?

Nova edição da newsletter na área!

O presidente vetou o auxílio emergencial às empresas operadoras do transporte público. Eram R$4 bilhões, face aos mais de R$8 bilhões de prejuízos só em 2020, que serviriam para tirar o setor da lama, pagar funcionários e ainda investimentos, como previam as contrapartidas. Por falta de convergência no governo federal, não foi aprovado. 

Entretanto, a emergência continua e as empresas não se recuperaram. O ano começou e pouca gente fora do ramo está falando sobre isso. Vivemos um bomba-relógio, prestes a explodir.

Conversamos com Rafael Calabria, do Instituto de Defesa do Consumidor (IDEC), sobre esse veto e o cenário atual sem o auxílio. Discutimos licitações inovadoras que devem ser a regra daqui pra frente, além de outros desafios nesse 2021 que acaba de começar mas já se impõe. 

Podcast Agora é simples discute cenário para o transporte público sem auxílio federal

O impacto não foi pequeno e os R$ 4 bilhões não seriam suficientes. Auxílio ao transporte vetado e números negativos na pandemia impulsionam setores a projetarem novo marco regulatório: 2020 terminou com 61% do número regular de passageiros e um prejuízo superior ao esperado. Saiba mais. 
 

Rapidinhas: Os links que nos deram insights durante a semana. 

O MaaS está chegando, mas poucos provedores estão discutindo sustentabilidade.Promover escolhas melhores deve ser prioridade em aplicações MaaS, tanto quanto facilitar o dia dia de quem usa. Além disso, para atingir a universalidade, precisa de indicadores precisos, para além da retórica. 

Belém será a capital da bicicleta, segundo novo prefeito. A cidade já possui tendência para bicicletas, dada sua geografia, mas os investimentos na área pretendem melhorar a qualidade e a segurança dos deslocamentos.  

Isso é obrigatório.
Isso é obrigatório.

Podcast com Rafael Calabria

Novos formatos de licitação podem reverter o cenário atual e inovar na forma como os serviços de transporte público urbano são prestados

No terceiro episódio do podcast Agora é simples com ONBOARD, entrevistamos Rafael Calabria, coordenador do Programa de Mobilidade Urbana do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), titular do Conselho Municipal de Transporte e Trânsito de São Paulo e criador e conselheiro da Cidadeapé.

Nesta edição falamos sobre a crise no setor de transporte público, intensificada pelo veto do presidente no auxílio ao transporte público, além de novos formatos de licitação que podem ajudar o setor em sua recuperação pós-pandemia.

O podcast está disponível em Spotify, Deezer, Google Podcasts, Apple Podcasts e mais.

O roteiro foi feito por Antonia Moreira, Larissa Belizani e Luiz Renato M. Mattos.

A edição foi realizada por Antonia Moreira.

A pesquisa sonora é de Antonia Moreira e Larissa Belinazi.

Usamos trilha sonora da Epidemic Sound e Freesound.

LGPD é acionada no transporte público pela primeira vez

Estudante questionou operadora da bilhetagem no Recife sobre como seus dados de biometria facial são utilizados com base nova lei de proteção de dados

Foto: WRI Brasil

Sancionada ainda este mês (setembro) pelo presidente Jair Bolsonaro, a Lei Geral de Proteção de Dados (LGPD) embasou um estude de Recife a ajuizar ação contra o bloqueio do seu cartão de transporte “VEM Estudante”.

O benefício de meia entrada do estudante foi bloqueado por não ter feito o cadastramento da biometria facial. Ao ser informado da necessidade de cadastro questionou o funcionário da operadora sobre a política de dados da empresa, informação que não obteve resposta.

Segundo o site Conjur, o estudante ajuizou ação na 18ª Vara Cível do Recife, alegando que o bloqueio do cartão sem esclarecimentos sobre a política de dados da empresa fere o artigo I da LGPD.

“Esta Lei dispõe sobre o tratamento de dados pessoais, inclusive nos meios digitais, por pessoa natural ou por pessoa jurídica de direito público ou privado, com o objetivo de proteger os direitos fundamentais de liberdade e de privacidade e o livre desenvolvimento da personalidade da pessoa natural.”

Entre os pedidos estão o recadastramento imediato sem a biometria facial até que a ação seja julgada.

O Agora é Simples já abordou a Lei Geral de Proteção de Dados no transporte público, lei que visa dar autonomia aos cidadãos sobre o destino de seus dados pessoais. No artigo, os principais pontos da nova lei são vistos sob a realidade de operadores de transporte.

Isso é obrigatório.
Isso é obrigatório.

Semana da Mobilidade: veja programação da Prefeitura

Reforçando a ideia de que “Todos Somos Pedestres”, programação levará à população ações de conscientização no trânsito

A Prefeitura de São Paulo realiza, de 18 a 25 de setembro, a Semana da Mobilidade 2019. Organizada pela Secretaria Municipal de Mobilidade e Transportes (SMT) – por meio da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET), da São Paulo Transporte (SPTrans) e pelos departamentos de Transportes Públicos (DTP) e de Operação do Sistema Viário (DSV) –, em parceria com as secretarias municipais de Direitos Humanos e Cidadania, Educação e da Pessoa com Deficiência, a programação traz um conjunto de ações voltadas à segurança e à convivência saudável entre os diversos modais no trânsito da cidade.

Neste ano de 2019, a exemplo do ano passado, o foco da Semana da Mobilidade está no respeito e atenção ao pedestre. A temática “Todos Somos Pedestres” vem para reforçar à sociedade que, independentemente do meio de locomoção principal que se utilize, todos somos pedestres em algum momento do dia. E que o pedestre é sempre o elemento mais vulnerável no trânsito.

A Semana começa nesta quarta-feira, 18, com a Ação Motociclista Seguro, parceria da CET com o Comando de Policiamento do Trânsito da PM (CPTran). Motociclistas que estiverem na Marginal Tietê serão parados numa blitz e convidados a assistir a uma palestra de 15 minutos ministrada por um policial militar e um agente de trânsito. Na oportunidade, serão instruídos sobre pilotagem segura, velocidade, frenagem, utilização dos EPIs corretos (capacete, jaqueta e botas) e receberão orientações de como verificar o desgaste dos pneus. A ação acontece no Posto de Apoio ao Trânsito próximo à Ponte Gov. Orestes Quércia (Estaiadinha). Na segunda-feira (23), a ação se repete no Centro de Estudos e Desenvolvimento de Educação para a Mobilidade (CEMOB), na zona leste (perto do Metrô Carrão).

Já tradicional durante a Semana da Mobilidade, também nesta quarta-feira, 18, acontece o Desafio Intermodal, organizado pelo Instituto CicloBR. Realizado desde 2009, o desafio tem como objetivo avaliar o tempo de percurso de cada um dos diferentes modais de transporte na cidade. Neste ano, o trajeto terá 10 km, saindo da Praça General Gentil Falcão (altura do número 1.000 da Avenida Eng. Luís Carlos Berrini, no Brooklin), com chegada em frente à Prefeitura de São Paulo (Centro).

A programação da semana também terá terminais de ônibus recebendo cenários interativos e esquetes teatrais, estruturas montadas próximas a ciclovias para auxiliar ciclistas na manutenção e revisão de suas bicicletas, vídeos abordando os programas “Vida Segura” e “Viagem Segura”, enfatizando ações positivas dos motoristas de ônibus, e vídeos de personagens que trocaram o automóvel pelo transporte público ou outro meio de transporte.

Em parceria com a Secretaria Municipal de Educação, o tema desta Semana da Mobilidade será debatido, também, em escolas públicas. A equipe do CETET realizará, nos CEUs Azul da Cor do Mar e Jaçanã, a exibição do “Cine Trânsito”, filme inspirado no clássico O Mágico de Oz que aborda, de forma lúdica, conceitos de segurança no trânsito, cidadania e sustentabilidade. Essa atividade dura cerca de uma hora e é destinada a alunos do 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental.

Para favorecer a segurança viária, a CET instalará faixas informativas em pontos da capital, chamando a atenção para acidentes com vítimas nesses locais. Durante a Semana da Mobilidade, a programação dessa ação inclui a presença de mímicos do Centro de Treinamento e Educação de Trânsito da CET (CETET).

A equipe do CETET também fará uma atividade interativa com quem estiver passando pela Rua Dr. Campos Moura, onde a Prefeitura promove o projeto Conviver Sub Penha nas imediações da Estação Artur Alvim.

A Semana da Mobilidade 2019 na cidade de São Paulo contará com diversas atividades. Acesse o site para conhecer a programação completa e participar.

Frente Parlamentar anuncia esforço conjunto para melhorar transporte público

Durante reinstalação da Frente Parlamentar Mista do Transporte Público, em Brasília, parlamentares defenderam medidas de prioridade ao ônibus e apoio na aprovação de propostas sobre o tema

Facilitar os deslocamentos diários, especialmente dos menos favorecidos economicamente, com a oferta de transporte público eficiente e com preço acessível é prioridade da Frente Parlamentar Mista do Transporte Público (FPMTP), reinstalada na semana passada (3/7), na Câmara dos Deputados. Após ouvir propostas para a melhoria da mobilidade urbana no Brasil, em especial medidas que dão prioridade ao transporte público por ônibus urbano, o coordenador geral da FPMTP, deputado Mauro Lopes (MDB-MG), anunciou a união de forças entre os parlamentares das duas casas legislativas para devolver dignidade ao trabalhador com a oferta de um transporte público de melhor qualidade.

“Temos que lutar junto ao Governo Federal para que o trabalhador não fique preso em congestionamentos. Por essa razão, precisamos defender a criação de mais faixas e corredores exclusivos de ônibus”, afirmou na abertura dos trabalhos da Frente Parlamentar, que agora vai atuar como Frente Mista, reforçando o peso do apoio às propostas que visam solucionar os principais gargalos da mobilidade urbana e do transporte público.

No caso do ônibus urbano, que enfrenta crise histórica e amarga severa perda de 25,9% de passageiros nos últimos cinco anos,  o coordenador adjunto da FPMTP, deputado Ronaldo Carletto (PP-BA), ainda destacou outros desafios, como o custo do óleo diesel, insumo básico do ônibus, assim como o peso das gratuidades. Explicou que elas encarecem as tarifas porque são bancadas pelo passageiro pagante. Ronaldo Carletto destacou ainda a falta de infraestrutura viária. “Sem infraestrutura urbana o transporte público presta um péssimo serviço”, afirmou, citando também  a concorrência desigual do transporte clandestino com o ônibus.

Ciente de que ainda há um longo caminho a percorrer até a resolução dos principais entraves à melhoria do transporte público no Brasil, Otávio Cunha, presidente executivo da Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU), pediu apoio da Frente para levar as sugestões conjuntas das prefeituras e operadores do transporte público para o Executivo. Reunidas no documento “Construindo hoje o amanhã – propostas para o transporte público e a mobilidade urbana sustentável no Brasil”, as propostas estão organizadas em cinco programas com soluções para os principais gargalos do transporte urbano no país, incluindo priorização para o transporte coletivo, redução do custo tarifário e maior qualidade para o serviço. Cunha afirmou que o coletivo urbano só vai sair da crise com fontes de recursos extratarifárias, que permitam baratear o preço das passagens. “Precisamos ter uma rede pública básica de transporte barata e eficiente”, reforçou.

Também convidado pela Frente, Getúlio Vargas de Moura Júnior, presidente do Instituto MDT – Instituto do Movimento Nacional pelo Direito ao Transporte Público de Qualidade para Todos, elogiou o trabalho da FPMTP, com foco na população, e anunciou a criação de uma Frente Popular que deverá atuar em sintonia com a pauta da FPMTP. “Morador da periferia não usa transporte por aplicativo, depende de transporte público”, enfatizou.

Após fazer uma apresentação sobre a situação do transporte público em vários países,  o representante do ministro Gustavo Canuto, do Desenvolvimento Regional, o assessor especial Geraldo Freire Garcia, avaliou que a melhoria da mobilidade urbana passa pelo planejamento das cidades para facilitar deslocamentos. Com esse propósito, também defendeu a integração dos vários modos de transportes às redes de transporte público.

Informações da Assessoria de Imprensa da Frente Parlamentar. 

Transporte por ônibus na sexta-feira (14)

SPTrans obtém liminar favorável para garantir deslocamento da população na próxima sexta-feira, dia 14

Para garantir o deslocamento da população na próxima sexta-feira, 14 de junho, data em que estão marcadas manifestações e paralisações, a São Paulo Transporte S.A. (SPTrans) protocolou uma Tutela Provisória de Urgência no Tribunal Regional do Trabalho, e obteve decisão liminar favorável.

Em nota, a SPTrans considera que se trata de atividade essencial e sua operação deve ser mantida, houve assim a determinação para que se mantenha o serviço, em especial nos horários de pico entre 5h e 9h e entre 17h e 20h, sob pena de multa de R$ 100 mil por dia, no caso de descumprimento.

Segundo o portal Mobilidade Sampa Metrô e CPTM devem aderir à greve do dia 15. No Sindicato dos Motoristas e Trabalhadores em Transporte Rodoviário Urbano de São Paulo diversas lideranças do setor se reuniram para decidir sobre a paralisação por 24 horas.

Senado discutirá políticas de mobilidade em subcomissão

Grupo acompanhará projetos de mobilidade dos municípios brasileiros no âmbito da Política Nacional de Mobilidade Urbana.

Agência Senado

O Senado instala na quarta-feira (27) a subcomissão temporária sobre mobilidade urbana, com a eleição do presidente e do vice-presidente do colegiado, que funcionará no âmbito da Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH). A reunião começa às 9h na sala 2 da ala Nilo Coelho.

Com cinco membros titulares e igual número de suplentes, a subcomissão terá como objetivo debater a mobilidade urbana e acessibilidade nos municípios brasileiros. O colegiado foi criado por meio de requerimento do senador Acir Gurgacz (PDT-RO).

Em abril de 2015 entrou em vigor a Lei 12.587/2012, que definiu a Política Nacional de Mobilidade Urbana. Em 2016, o governo federal sancionou a Lei 13.406/2016 que ampliou de três para sete anos o prazo para que os municípios com mais de 20 mil habitantes elaborem seus planos de mobilidade. Dados do Ministério das Cidades, de dezembro de 2016, indicam que do total de 3.341 municípios que deveriam elaborar seus planos, apenas 175 conseguiram completá-los, o equivalente a 5% das localidades brasileiras.

“A presente subcomissão terá como objeto acompanhar a implantação da Política Nacional de Mobilidade Urbana, discutir os entraves e propostas para elaboração dos planos municipais de mobilidade e acessibilidade, bem como tratar das questões referente ao transporte coletivo, de forma a reduzir os espaços para carros particulares, melhorar o transporte nas vias públicas e estimular os modos ativos de mobilidade, com a implantação de ciclovias e de calçadas transitáveis’, explica Acir Gurgacz no requerimento de criação do colegiado.

OnBoard Mobility vai ao Welcome Tomorrow Mobility 2018!

Maior feira de mobilidade no mundo terá carro autônomo e Hyperloop do Elon Musk. 

Estamos muuuuito empolgados em falar para você que estaremos no Welcome Tomorrow Mobility 2018, evento que leva para São Paulo iniciativas revolucionárias na mobilidade! De carro autônomo a cápsula de transporte, o WTM18 promete abrir nossas cabeças para as soluções mais ousadas do setor.

Entre as 150 startups e speakers – nacionais e internacionais – que passarão pelo evento, a OnBoard Mobility estará lá! Se liga nas principais atrações do evento:

Carro Autônomo

Ouvimos muito falar em empresas como Uber e Google investindo em carros autônomos, mas sabia que no Brasil também temos iniciativa assim? Pesquisadores da UFES desenvolveram a IARA – Intelligent Autonomous Robotic Automobile – carro sem interação humana. Você poderá interagir com o veículo os 3 dias de evento!

Cápsula de transporte

Na WTM18 vamos ficar mais próximos da cápsula flutuante Hyperloop TT, criada por Elon Musk e desenvolvida por Bibop Gresta. O veículo, que se movimenta dentro de tubos , pode chegar a uma velocidade de 1.200 quilômetros por hora!

Cidade do Futuro

A WTM18 será ambientada em Manhattan, batizada de Arena do Futuro. O espaço vai integrar mais de 100 startups e empresas. Na Manhattan futurista também será possível assistir a talk shows e apresentações musicais!

A OnBoard Mobility no evento

Vamos participar com um stand nos dias 30 e 31 de outubro. Entre nossos produtos, Bipay, chatbot de recargas de créditos do transporte público, maroto robô com Inteligência Artificial. 

Fique ligado que vamos mostrar muito conteúdo nas redes sociais! E se estiver por lá, passe em nosso stand e pegue adesivos! <3

Para saber mais sobre a WTM18 entre no site oficial do evento.

Temos um código especial para nossos leitores! Use ONBOARD20 no ato da compra e ganhe 20% de desconto! Clica no banner abaixo <3

Entre 29 e 31 de outubro o World Trend Center em SP vai parar! Nos vemos lá?

OnBoard Mobility participa do maior programa de aceleração de Minas Gerais

Chegamos ao SEED em Minas!

A partir desta semana, até o final de janeiro, nós da OnBoard Mobility estaremos no programa de aceleração SEED, do governo de Minas Gerais, em Belo Horizonte. O SEED impulsiona o ecossistema de startups do estado, incentiva startups com propostas de valor significantes e acreditaram em nosso trabalho feito até aqui.

A OnBoard Mobility, que compreende o app OnBoard, o chatbot Bipay e esse blog, passará por uma série de mentorias nas mais diversas áreas. Estamos trabalhando em conjunto a outras startups, com o objetivo de acrescentar muito à nossa visão de negócio e ajudar a construir um serviço ainda melhor para você.

Além disso, participaremos de atividades de difusão do empreendedorismo por todo o estado, contribuindo com a construção de uma cultura empreendedora no país, tão importante para enfrentarmos os dilemas da economia brasileira.

Podemos dar spoilers? Essa parceria com o SEED Minas tem tudo para levar nossos serviços para a capital mineira. Com isso, BH pode ser o mais novo lar de nossos pagamentos inteligentes no transporte público. Super empolgante! Mas calma que logo mais novidades virão.

Por enquanto, fiquem com essas fotos do SEED e de nossos primeiros dias aqui em Belo Horizonte. Aqui o trem é bão dimais!

O que chatbots podem fazer pela sociedade?

Chatbots brasileiros querem levar informação para usuários da internet.

A maioria dos brasileiros está conectada à internet, segundo dados do IBGE (2016), apesar disso, o acesso a informação relevante não necessariamente acompanha essa evolução. Recentemente, diversas páginas foram derrubadas pelo Facebook acusadas de espalhar notícias falsas. Isso é só a ponta do iceberg.

Pensando no campo da desinformação instalado no país, iniciativas buscam mudar nossa relação com internet e informação por meio de robôs e inteligência artificial. Com isso, tentam garantir acesso fácil à verdade sobre assuntos da vez, leis e direitos.

Já falamos de chatbots em português por aqui, um tema muito pertinente na atualidade. E trazemos para vocês os chatbots que querem tornar as coisas na internet e, por extensão, na sociedade, mais simples e saudáveis.

Fátima: checagem de notícias falsa

A plataforma Aos Fatos criou a robô Fátima, inicialmente no Twitter – em breve estará como um chatbot no Facebook também. A Fátima tem o objetivo de contrapor notícias falsas, identificando e respondendo pessoas que compartilharam boatos no Twitter.

Ao encontrar o link de uma notícia falsa – previamente analisada pela plataforma Aos Fatos – a Fátima dispara um tweet com a informação verdadeira, advertindo o usuário.

Robô Fátima no twitter

Existe a expectativa de que Fátima contribua para uma internet mais democrática e segura durante as eleições de 2018. A intenção é evitar o mar de desinformação que foi a eleição norte-americana de 2016.

Tê: o chatbot da comunidade LGBTI+

O Brasil é o país que mais mata pessoas LGBTI+ no mundo, mesmo com a fama de país acolhedor. Segundo o Grupo Gay da Bahia, ONG que produz estatísticas sobre os casos de violência (o estado brasileiro não possui esses dados), em 2017, 445 gays, lésbicas, bissexuais e transexuais foram assassinados no país.

A partir dessa violência generalizada, a startup Todxs criou a chatbot Tê. O objetivo é disseminar informação sobre o assunto e munir pessoas LGBTI+ de seus direitos em todo o país.  

Começe um papo com a Tê na página da Todxs no Facebook. A partir de um oi o chatbot enviará opções para você. Se informe sobre como identificar os tipos de LGBTIfobia e descubra leis que podem te proteger e que criminalizem a LGBTIfobia na sua localidade. Saiba, também, onde existem delegacias especializadas em violência por motivo de ódio.

Outro serviço bacana é o “comunidade”, em que a Tê dá opções de biografia de ícones no LGBTI+ do país. Entre eles, Laerte, Cazuza, Jorge Lafond e João W. Nery.

A Todxs é uma startup social, que tem a missão de empoderar pessoas à margem da sociedade, sendo referência em diversidade e inclusão social no Brasil. Por meio da inovação e do empreendedorismo busca atingir esses objetivos e melhorar a vida de LGBTI+ por aqui, bacana né?

Somos muito entusiastas de tecnologias pensadas no social, e queremos sempre descobrir novos chatbots que fazem a diferença! Conhece mais ideias bacanas como a Tê, Fátima, Beta ou o Bipay? Deixe um comentário que nós vamos escrever sobre!

[mc4wp_form id=”375″]

5 tendências em tecnologia no transporte público

É possível melhorar o transporte público com investimentos em tecnologia e inovação

Photo by Erik Witsoe on Unsplash

A rotina de entrar em um carro e enfrentar horas no trânsito das grandes cidades tem ficado cada vez mais exaustiva. Com isso, muita gente já percebeu que optar pelo transporte público é a melhor opção para chegar na hora certa e se estressar menos, apesar de todos os problemas que nós conhecemos.  

Embora isso seja verdade, os modais no Brasil e no mundo ainda vivem no passado. As regulações e as tecnologias no transporte são datadas e podem ser substituídas ainda hoje por sistemas mais eficientes. 

Esse artigo vai mostrar 5 tendências no transporte público mundial que têm impactado significativamente a forma como pessoas se locomovem pelas cidades. Confira!

Parcerias público privadas em software e Big Data

A integração de informações de diversos sistemas sempre foi um problema para empresas públicas. Pensando nisso, novas e desafiadoras startups vêm rompendo com esse paradigma ao criar softwares de código aberto. Esse códigos podem ser usados por diversos players e melhorar a qualidade dos serviços.

A tecnologia no transporte público pode oferecer diversas informações, como horário do ônibus, pontos próximos e rotas mais rápidas. Para as empresas, possibilita em cálculos de manutenção e otimização da infraestrutura geram menos gastos.

Já abordamos no blog nossos apps favoritos de horário do ônibus na capital paulista, e alguns deles contam com recursos muito interessantes. Tudo isso nos leva a segunda grande tendência:

Integração dos modais em um mesmo passe

É comum que metrô, trem e ônibus exijam bilhetes diferentes, ainda mais se colocarmos outras cidades na análise. A Região Metropolitana de São Paulo é um exemplo.

Porém, hoje é cada vez mais necessária a integração total entre os modais e sistemas, utilizando um mesmo passe com um único pagamento. Sem necessidade de filas, cartões diferentes e diversas transações.

Cada etapa a menos representa uma economia significativa de tempo para as pessoas e um trânsito mais fluído.

O Bilhete Único de SP representa uma importante ferramenta nessa direção, embora não contemple todas as possibilidades existentes na cidade. 

E-tickets ou bilhetes eletrônicos

Em Londres, o dinheiro foi abolido das transações no transporte público e smartphones têm sido cada vez mais usados como substitutos dos cartões no pagamento das viagens.

Em 2016, a American Public Transit Association e o Near Field Communication (NFC) se comprometeram a educar o mercado sobre as possibilidades de integração da tecnologia NFC em pagamentos no transporte público. Aqui em São Paulo já existe gente trabalhando com NFC para acesso aos modais.

As principais soluções concentram-se atualmente em inovar nas formas de recarga do Bilhete Único pela internet. É possível fazer a compra de créditos por aplicativos e até pelo Facebook.

Novos sistemas baratos e eficientes

A malha de transportes públicos no Brasil é, no geral, pequena em relação a demanda. Assim, a busca por modais mais baratos e eficientes é presente no mundo inteiro. No Brasil, o Teleférico e o BRT (Bus Rapid Transit) estão em alta.

O Teleférico foi responsável por dar uma cara nova às periferias de Medelín, na Colômbia. O modal fez parte de um plano de revitalização da cidade que, no início do século, enfrentava uma grande crise como a que acontece no Rio hoje. O México também experimentou o modal e os resultados têm sido ótimos para toda a população.

O BRT, modelo aplicado pela primeira vez no mundo em Curitiba, nos anos 1970, têm ganhado destaque. Existem obras novas para implementação do BRT em Salvador e Campinas. E estima-se que 300 cidades do mundo todo usem o sistema criado aqui no Brasil. Entre elas São Paulo e Rio de Janeiro.

Veículos não poluentes

Na União Europeia, dados da Associação Europeia de Fabricantes de Automóveis indicaram um aumento de 26,9% de veículos que usam energias alternativas na região. Entre elas as baterias elétricas e os chamados ‘híbridos’.

O incentivo à compra de carros elétricos tem se espalhado por planos de governo, algo ainda indisponível no Brasil: são poucas as opções de modelos ea frota elétrica atualmente representa apenas 0,02% de todos os carros.

Se o transporte público tomasse a dianteira nesse assunto, haveria mais incentivo para a produção nacional de veículos elétricos. Isso agregaria as metas de diminuição da poluição e garantiria melhora da qualidade de vida das pessoas.

Todas essas tendências ainda engatinham no Brasil e precisam de um amplo apoio da população, do setor privado e público.

Assim como alguém pode se deslocar de carro de forma rápida e barata, com Uber e afins, sem preocupar-se com combustível, estacionamento, etc. a tendência é que andemos de transporte público sem dificuldades com emissão de bilhetes e recarga.

Nesse mundo integrado todo mundo sai ganhando, não é? Compartilhe essas ideias na sua rede!

Obras no transporte público da Rússia custaram a copa no Brasil inteira. Entenda:

Grandes investimentos e gratuidade para os torcedores são as apostas da sede do mundial

A Copa do Mundo da Rússia finalmente chegou, e como todo grande evento de caráter mundial, milhares de dólares foram despendidos para a construção da infraestrutura. O mesmo ocorreu no Brasil para a Copa em 2014 e as Olímpiadas em 2016.

E o mundial da Rússia tem algo a mais: é a copa do mundo mais cara da história. Foram gastos 14 bilhões de dólares ou R$51,1 bilhões no mundial. O Brasil em 2014 gastou praticamente a metade, R$25,5 bilhões.

O transporte público no mundial

De todo essa quantia gasta, os russos optaram por focar na modernização do transporte público. R$22,7 bilhões foram destinados à área, contra R$12,7 bilhões a construção dos estádios.

Esse grande investimento em infraestrutura de transportes tem um motivo: assim como o Brasil, a Rússia é um país continental, e as sedes dos torneios se encontram muito distantes entre si. Além disso, os modais dentro dessas cidades precisavam passar por reformas para comportar o número grande e excepcional de turistas que o país receberá.

Mesmo que as partes mais distantes da Rússia não recebam os jogos, a distância média entre as cidades chega aos 400 km! Kaliningrado (localizada em um território sem ligação direta com o restante da Rússia) e Iecaterimburgo, as cidades mais afastadas entre si, chegam a ter mais de 3 mil quilômetros de distância. Tudo isso exige locomoção por aviões ou trens.

Gratuidade no transporte

Inspirando-se na experiência brasileira na área, a organização do mundial também oferecerá transporte gratuito para os torcedores durante o torneio. Para ter o benefício turistas devem obter uma Fan ID. O documento é solicitado mediante apresentação dos ingressos comprados.

O diretor de comunicações da Copa do Mundo, Andrey Chernenko, explicou e defendeu o modelo em coletiva de imprensa. “Para acessar o estádio, você precisa do ticket e do Fan-ID. Basta tocar em uma catraca com seu Fan-ID e você está identificado e terá acesso. É rápido e conveniente”.

Porém, somente linhas especiais para os jogos serão gratuitas, não toda a malha de transporte. Então, aqueles que queiram também visitar pontos turísticos que não passem por estádios devem destinar uma parte do orçamento às viagens.

O primeiro jogo da Copa do Mundo é dia 14 de junho. A partida é entre Rússia e Arábia Saudita, às 12h horário de brasília.

Para continuar acompanhando as atualizações do blog Agora é Simples, inscreva seu e-mail na newsletter:
[mc4wp_form id=”375″]

Por que os aplicativos precisam de permissões para funcionar?

Entenda porque e como desabilitar essas permissões em aplicativos Android.

A cada nova instalação é necessário conceder permissões aos aplicativos, como acesso ao microfone, câmera, chamadas, entre outros. Porém, nem sempre fica claro o porquê de certas permissões serem solicitadas por apps que, à primeira vista, não precisam.

Conceder acesso ao microfone para um joguinho em que não é preciso falar ou gravar nada? Contatos para um banco? Entenda mais neste post!

Por que conceder permissões aos aplicativos

As principais redes sociais, como Facebook, Twitter e Instagram geralmente necessitam de acesso a câmera, contatos e microfone. Isso porque precisam tirar fotos e fazer vídeo chamadas, como também sincronizar seus contatos.

Essas exigências são sempre exibidas na primeira vez que o aplicativo é aberto, mas não se preocupe! Isso pode ser alterado. Em celulares Android, a partir da versão 6.0 é possível saber o que cada aplicativo instalado está demandando de permissões e, caso queira, desligar.

É claro que ao sair desabilitando várias permissões, com intenção de tornar seu celular mais seguro ou mesmo mais leve, você corre o risco de deixar alguns apps inutilizáveis. Isso acontece, pois eles precisam de certas permissões para funcionar corretamente.

Como exemplos aplicativos de mobilidade urbana, Moovit, Uber, etc. que pedem acesso ao GPS. Sem isso, não dá pra determinar sua localização e exibir os horários de ônibus.

Alguns aplicativos pedem também acesso às chamadas, para enviar SMS de confirmação de cadastro, ou mesmo uma ligação. É o caso do Telegram e do OnBoard, esse último o app da galera aqui do blog.

Portanto, não se assuste se algum aplicativo solicitar permissão para algo que ele não parece precisar! Se não quiser compartilhar determinada permissão, basta desabilitar e verificar se nada parou de funcionar. Se estiver tudo ok, continue a usar sem problemas!

Como desligar as permissões

Em celulares Android (a partir da versão 6.0) vá em Configurações (o ícone pode mudar dependendo da marca do celular, mas sempre existe esse app).]

Procure Aplicativos.

Entre no aplicativo desejado e clique em Permissões.

Nessa aba veja todas as permissões concedidas.

Pronto! Agora você tem mais controle sobre o que os aplicativos têm acesso em seu celular.
[mc4wp_form id=”375″]

 

 

 

Atenção São Paulo: Recarregue Bilhete Único e Celular no Facebook

Recarregar Bilhete Único pelo Facebook é possível na página Bipay, criada pela startup OnBoard Mobility.

Com a incrível oferta de aplicativos em nossos celulares, de carros compartilhados a bancos, passando por jogos, redes sociais e bobagens divertidas, nossos smartphones carregam cada vez mais funcionalidades. Com isso, muitas vezes precisamos desinstalar alguns apps para desocupar espaço.

Logo, a tendência hoje é que diversos serviços convirjam para grandes plataformas, deixando assim mais memória em nossos celulares para nossas fotos, músicas e novos apps.

Alguns novos serviços que surgiram no Messenger e no Facebook – ambas as plataformas interligadas – são a recarga de celular e de Bilhete Único. A solução chama-se Bipay, e já falamos dela por aqui.

Bipay: assistente virtual para recargas

O Bipay é um chatbot, ou assistente virtual, que faz a recarga do Bilhete Único em São Paulo e de celular para todo o Brasil. As recargas são feitas por meio do chat do Facebook (em desktops) e Messenger (em smartphones).

O pagamento é todo autenticado pela conversa, e você só precisa fazer login – com a conta do Facebook mesmo –  para certificar sua identidade e garantir a segurança da transação. É bem simples!

A inovação dos chatbots

Os chatbots vêm se popularizando em todo o mundo. Desde 2016, o Facebook permite que desenvolvedores trabalhem com chatbots no aplicativo Messenger da empresa. Mais recentemente, o WhatsApp também entrou na jogada, assim como o Skype.

Diferentemente da visão futurista que tínhamos de robôs, com suas feições humanas, os chatbots são verdadeiros robôs sem forma física.  Ele se apresentam por meio de conversas e o script, um conjunto de instruções proposto pela equipe que o desenvolve, é sempre seu maior diferencial. Assim, nascem diversos tons de conversa e personalidades engraçadinhas, intimistas ou confiantes!

Esses robôs, que em muitos casos utilizam de Inteligência Artificial para aprender com suas interações, fazem as mais diversas coisas. Entre elas, informam a previsão do tempo, organizam protestos online e fazem compra de eletrodomésticos. Falamos dos melhores chatbots em português nesse artigo.  

Veja um passo a passo

Para simplificar, caso preciso de mais informação preparamos um passo a passo das etapas para fazer recargas com Bipay.

Fale com bipay, clique aqui.

Aprenda outras formas de fazer a recarga do Bilhete Único online.

4 chatbots em português para você ficar por dentro do assunto

Por meio de conversas em redes sociais é possível recarregar celular e fazer política.

Provavelmente você já entrou em contato com algum deles por aí. Os chatbots estão se popularizando, principalmente por serem uma alternativa prática e barata para melhorar a experiência em atendimentos. Para ficar por dentro do que anda rolando no assunto aqui no Brasil selecionamos 4 chatbots em português super interessantes.

O que você verá neste artigo:

  • O que é um chatbot
  • Para o quê serve um chatbot
  • Chatbots em português para se inspirar

O que são chatbots?

Chatbots são robôs de conversa, ou seja, não imaginem um robô andando pra lá e pra cá como nos filmes. Esses robôs se apresentam para nós em conversas via chat, em um site ou rede social, por exemplo, e simulam a linguagem humana para parecerem o mais natural possível.

O filme Her é, possivelmente, a produção hollywoodiana mais interessante para explicar os chatbots, apesar de não serem ainda tão apaixonantes.

O primeiro chatbot foi a ELIZA, desenvolvido pelo professor do MIT Joseph Weizenbaum entre os anos 1964 e 1966. A ELIZA simulava a conversa de pacientes com seu psicólogo e, à época, os pesquisadores ficaram espantados com o resultado, imaginando que ela poderia ajudar em tratamentos psicológicos.

Como é possível ver nesse vídeo, a ELIZA usava o que era escrito para ela em suas respostas. Assim, suas interações ficavam próximas as perguntas de um psicólogo, que usa o que lhe foi dito para formular questões.

Porém, os chatbots de hoje são muito mais independentes e inteligentes, pois muitos usam o Deep Learning e a Inteligência Artificial. Essas tecnologias os tornam capazes de aprenderem com suas interações e se mostrarem mais precisos e interessantes. Ou quase isso…

Um caso emblemático é a TAY, robô criada pela Microsoft no Twitter, que tinha a intenção de interagir com jovens millenials.

Em poucas horas no ar, a TAY, com sua inteligência artificial, assimilou e reproduziu diversos discursos racistas e xenofóbicos. Por fim, chegou a afirmar que as piores “raças” eram negros e mexicanos. Apenas 24h após o seu lançamento, a Microsoft tirou a robô do ar.

O que os robôs aprendem com nós humanos é uma questão ética que vem tomando conta do debate. Mas quando o assunto são suas aplicações no nosso cotidiano, o papo é mais leve e prático.

Onde os chatbots estão hoje?

Os exemplos que vêm a mente primeiro são os assistentes dos principais sistemas operacionais, como a Cortana (Windows), Now (Google) e Siri (iOS). Esses robôs, inclusive, são em grande parte responsáveis pela popularização dos chatbots, pois acostumaram o usuário nessas interações com máquinas.

Mas os chats estão entrando também nas redes sociais. O primeiro liberar a função para desenvolvedores foi o Facebook, em sua plataforma de conversas Messenger.

Se inspire com esses 4 chatbots brasileiros:

Amigo Anônimo

Desenvolvido para a Alcoólatras Anônimos (AA), o chatbot Amigo Anônimo dá dicas sobre como lidar com amigos ou parentes dependentes, estimula o usuário que está em problemas a procurar ajuda e até dispõe o endereço do grupo de apoio mais próximo.

Poupinha

Pelo Poupinha, chatbot do Poupatempo, é possível agendar horários para atendimentos em serviços de RG, CNH, veículos, antecedentes criminais, carteira de trabalho e outros, tudo pelo chat da página no Facebook.

Bipay

Na cidade de São Paulo já dá para recarregar o Bilhete Único pelo chat do Facebook com o assistente Bipay. Com número do Bilhete, documentos e cartão de crédito em mãos é possível fazer a recarga.

Além disso, o chatbot também é funcional para usuários fora da capital paulista, pois faz a recarga do celular nas principais operadoras! Nesse link você tira as principais dúvidas sobre compras pelo Bipay, inclusive sobre segurança dos seus dados.

Climatempo

Com o chatbot do Climatempo você nunca mais vai errar o look e sair despreparado (a) em dias frios ou gastar tempo procurando a informações na web. Basta mandar um oi e digitar a cidade para qual está procurando a previsão do tempo. É possível ainda programar para receber mensagens – diariamente ou só no final de semana, por exemplo – e sempre ter em mãos as informações sobre o tempo no seu local.

Beta, a robô feminista

Ao aceitar receber mensagens da Beta o usuário fica por dentro de pautas relacionadas às mulheres que estão em discussão no congresso. A robô pode ainda enviar e-mails em seu nome para fazer pressão nos parlamentares. O objetivo é aprovar medidas ou refutar retrocessos nos direitos das mulheres.

Outras plataformas abriram espaço para que chatbots sejam desenvolvidos, como o Skype e Telegram. Entretanto, muito em breve o Whatsapp deve oferecer também. A plataforma já permite a interação de marcas com seus usuários.

Por fim, agora que você está por dentro dos chatbots vai saber usá-los a seu favor, certo?

Compartilhe com seus amigos esse artigo e ajude esses robozinhos a se tornarem populares!

 
[mc4wp_form id=”375″]

Testamos: Nossos 3 aplicativos de horário do ônibus preferidos!

Saber os horários dos ônibus e seus trajetos são uma vantagem na hora de chegar mais rápido ao destino, confira nossos favoritos!

Os ônibus são o meio de transporte em que os imprevistos mais acontecem devido às suas características, como grande abrangência em território e navegação no trânsito urbano. Pra quem mora em grandes centros, como São Paulo, existem diversas opções de aplicativos em que informam o itinerário e os horários das linhas, com o objetivo de prevenir os usuários e nos fazer gastar menos tempo esperando.

Com tantas opções, antes de baixar um app fica a dúvida: qual é o melhor aplicativo de horário de ônibus?

Para desvendar esse mistério experimentamos os principais serviços em algumas viagens pela capital paulista, escolhendo os 3 mais eficientes com base nos critérios: usabilidade e arquitetura de informações, design e qualidade do conteúdo.

CittyMapper

Ainda pouco conhecido, o Cittymapper nos surpreende por ser bastante completo em funcionalidades e possuir uma ótima interface. Ao programar uma viagem o app nos dá, além das opções do transporte público, estimativas de preços no Uber e rotas de bicicleta, priorizando caminhos com ciclovia.

Caso não possua uma bike, o aplicativo informa onde você pode alugar uma, e o que precisa fazer até chegar ao ponto de aluguel mais próximo, sempre informando o tempo estimado de locomoção e, no caso das bicicletas, quantas calorias serão gastas no percurso. E não precisa se preocupar em chegar no lugar e não ter bicicletas, o Cittymapper informa também quantas estão disponíveis para locação.

Outro ponto bacana é que cada modal – ônibus, trem, metrô – é mapeado, e você pode conferir as linhas e pontos distintamente, facilitando a compreensão de todo o sistema. 

Play Store / App Store   

Moovit

O Moovit já é bastante conhecido da galera, e não é por menos: super intuitivo, o aplicativo de origem israelense é bastante didático e funciona bem para moradores locais e turistas.

O Moovit em sua tela inicial usa dos dados sobre sua localização para mostrar uma simples barra com “Para onde você quer ir?”, dispensando o ato de localizar o lugar e os pontos próximos – algo complicado para turistas.   

Diferentes rotas são mostradas após informar o destino, com a mais rápida em primeiro lugar. Outra opção bacana é iniciar uma viagem no Moovit, que acompanha seu deslocamento e, se optar por ativar, avisa quando você deve descer do ônibus.

Play Store / App Store /  Windows Phone

Trafi

O Trafi funciona de maneira muito similar aos apps citados acima, sem muita novidade. O seu grande diferencial é funcionar offline.

Não é necessária internet nem mesmo para pesquisar os trajetos (outros apps salvam trajetos offline, mas necessitam estar online para fazer a busca). Essa função é uma grande aliada da maioria da população ao não descontar dados móveis.

Bonito visualmente, o app não deixa a desejar aos outros. Seu único problema é que informa algumas poucas rotas se comparado aos primeiros, e não possui integração com Uber e aplicativos de táxi.

Play Store / App Store

Todos os citados possuem versões para desktop, que você pode acessar do seu computador sem precisar de novos downloads.

Apesar de buscarmos principalmente os melhores aplicativos de horários dos ônibus, fica impossível observar apenas esse ponto, já que todos agregam tantas funções que facilitam nossa vida. Por isso observamos cada detalhe que faz a diferença na hora de sair por aí.

Se está buscando mais informações sobre suas rotas pela cidade teste nossas dicas e descubra quais aplicativos são os melhores para você! Se quer mais tecnologia na sua vida recarregue o Bilhete Único pelo celular, reunimos opções nesse post

Conheça os aplicativos de mobilidade que estão revolucionando o transporte

Estes apps usam a tecnologia para repensar a forma como nos locomovemos pela cidade grande!

Incentivo ao uso de bicicletas, segurança, praticidade de recarga. São diversos os campos de atuação de novos aplicativos de mobilidade que pretendem melhorar e inovar nossa locomoção pela cidade.

Mesmo ocupando lacunas deixadas pelo poder público, muitas vezes essas iniciativas não ganham o merecido destaque. Sendo assim, listamos abaixo as melhores soluções desenvolvidas em São Paulo, confira:

Bikxi

Um bom exemplo para começar é a Bikxi, a “Uber” das bicicletas. O modelo de negócio da empresa consiste no compartilhamento de bikes elétricas, guiadas por motoristas que se cadastram na plataforma.

Pelo app você chama a bike, e vai por meio das ciclovias até o seu destino. Você pode tanto optar por pedalar com o motorista, como ficar de boa e aproveitar a viagem.

BoraBike

Outro aplicativo de mobilidade na área de bicicletas é o BoraBike. Nascida numa agência de comunicação, a plataforma é disponibilizada para empresas que querem fomentar o uso de bikes entre os funcionários. Por meio dela, a empresa premia aqueles que atingem determinados desafios em número de km rodados.

Todo o percurso é rastreado via GPS em um app, tornando assim o hábito de pedalar em um jogo estimulante aos funcionários.

Os prêmios são decididos pela empresa, que ao mesmo tempo ganha ao estimular a cultura de sustentabilidade e a prática de exercícios físicos entre seus colaboradores.

Lady Driver

Após diversos casos de assédio e estupro por parte de taxistas e motoristas de aplicativos como Uber, surgiu em São Paulo o Lady Driver. O app de mobilidade é exclusivo para mulheres.

Tanto motoristas quanto passageiras desfrutam de um ambiente mais seguro, dedicado à elas. A ideia surgiu da empreendedora Gabriela Côrrea, após ter sofrido assédio dentro de um táxi. O app está disponível em Android e iOS.

Coletivo Corporativo

Preocupados com os assaltos a seus funcionários nos pontos de ônibus em frente a empresa, a produtora de artigos de saúde e higiene Reckitt Benckiser, decidiu fazer algo. Contratou a startup Scipopulis para desenvolver uma nova solução.

Trata-se do Coletivo Corporativo, aplicativo de mobilidade instalado em uma área reservada dentro da empresa, chamada de “pré-ponto”. Lá, os funcionários podem descansar e acompanhar em tempo real a chegada do seu ônibus, saindo do local apenas quando o transporte estiver perto.

Diferente dos aplicativos tradicionais de horário do transporte público, o Coletivo é disponibilizado numa TV. Dessa forma, a rede de dados dos funcionários é economizada e eles podem ficar protegidos de intempéries e assaltos.

A solução, por enquanto, foi adotada apenas pela Reckitt Benckiser, mas está em testes em outros lugares.

Bipay

Desenvolvido pela ONBOARD, o assistente virtual Bipay recarrega, por meio do chat do Facebook, o Bilhete Único. Assim, o usuário evita filas nas bilheterias e a instalação de novos aplicativos.

Primeiro no mundo a fazer recargas de transporte pelo Messenger da Página, o Bipay tem um atendimento super divertido e rápido. Basta mandar um oi no chat e começar a conversa.

Além disso, é possível ainda tirar dúvidas sobre o Bilhete Único.

Gostou dessas ideias? Use os apps que fazem sentido para você e compartilhe com seus amigos pra que mais gente conheça novas formas de locomoção!

Se quiser saber mais sobre tecnologia que transforma a vida, acompanhe nosso blog!

Tudo o que você precisa saber antes de chegar ao Lollapalooza 2018

Saiba como chegar ao Lolla de forma prática e aproveitar ao máximo o festival! 

O Lollapalooza 2018, festival musical que já pode ser considerado tradição na capital paulista, acontece nesse final de semana, entre os dias 23, 24 e 25 de março. Mais uma vez o evento será no Autódromo de Interlagos e, como todo grande evento, requer uma preparação prévia por parte da galera que só quer ver seus shows em paz.

Preocupados com sua chegada e a melhor experiência no festival, preparamos essas dicas simples, mas fundamentais pra você não gastar tempo à toa e curtir tudo o que nosso querido Lolla tem a oferecer.

Como chegar ao Lollapalooza

Esse ponto é crucial, uma vez que Interlagos é bem ao sul de São Paulo e não há metrô por perto. Porém, a Linha 9- Esmeralda de trem possui a estação Autódromo, que fica a aproximadamente 20 minutos do portão principal de Interlagos.

De trem é a forma mais barata de chegar ao Lolla, recomendada inclusive pelos organizadores. Se você não tem acesso direto à Linha 9- Esmeralda, faça uma transferência na estação Pinheiros da Linha Amarela que tem ligação com a de trem.

Lembre-se também que o metrô e trem não funcionam 24 horas na cidade, por isso, principalmente na sexta, você terá que apertar o passo depois do último show.

Sexta (23/3)

Termina às 23h. Metrô fecha à meia-noite

Sábado (24/3).

Termina às 23h15. Metrô fecha à 1h

Domingo (25/3).

Termina às 22h30. Metrô fecha à meia-noite

Uber, 99, Táxis

Essas opções existem, mas lembre-se que no dia haverá muito trânsito e algumas dessas alternativas possuem preço dinâmico. Então pense bem antes de optar por ir de carro.

Lolla Transfer

Opção paga de translado oficial para o Lolla, possui horários pré-definidos de ida e volta e é uma boa opção pra quem quer curtir mais o festival após o último show – sem a preocupação de pegar a última volta do trem e metrô.

O preço é R$100 por dia e você precisa adquirir nesse site antes do evento.

Os pontos de partida – que devem ser escolhidos durante a compra – são os seguintes:

Hotel Hilton Morumbi (Av. das Nações Unidas, 12901 – Brooklin Paulista, São Paulo)

Hotel Transamérica Higienópolis (Rua Alagoas, 974 – Higienópolis, São Paulo)

Bilhete Único

Se você não é de São Paulo, lembre-se de fazer um Bilhete Único Anônimo. É vantajoso pois permite integração se você for usar metrô + trem para chegar até o Lolla. Além disso, você pode recarrega-lo previamente pela internet, sem a necessidade de enfrentar as Bilheterias que estarão lotadas no dia.

Nesse artigo damos as melhores opções de compra de passes do Bilhete Único pela internet. E aqui você encontra os locais onde é possível solicitar seu Bilhete Único Anônimo.

Dentro do festival – fique por dentro

Palcos

Esse ano a organização do Lollapalooza mudou a localização de alguns palcos, então se você já é experiente no Lolla preste atenção também.

Como pode ver, alguns são bem distantes entre si, como o Palco Axé do Palco Budweiser. Por isso, reserve de 15 a 20 minutos de deslocamento entre os palcos quando quiser acompanhar um show diferente. O ideal é já ir com os shows e horários anotados no bloco de notas, considerando o tempo andando entre um e outro pra ~tentar não perder nada!

Lolla Cashless

Somos aficionados por tecnologia, e não poderíamos deixar de falar sobre o Lolla Cashless, novidade no evento. Nessa parceria com o banco digital Next, sua pulseira para entrar no Lolla vira também forma de pagamento por produtos lá dentro. Prático né? Basta acessar esse site, se cadastrar e colocar uma quantia que serão seus créditos no evento.

É uma forma bem prática pra evitar perda de dinheiro e cartões e economizar tempo com troco e digitação de senhas. O pagamento é feito por aproximação.

Dica bônus: Hospedagem para o Lolla

Se você não tem um amigo ou conhecido que pode te receber durante os dias do festival, a melhor opção é reservar um hostel ou hotel. Hostel é uma ótima pedida para quem quer gastar pouco, com quartos a partir de R$50. Para quem pode e quer gastar mais, hotéis são indicados. A rede Transamerica, por exemplo, está com desconto de 10% para quem inserir o código Lollapalooza na reserva.

Tem outra informação importante que precisamos acrescentar nesse artigo? Coloca aí nos comentários pra gente saber! Nós fizemos essa playlist aí embaixo pra te deixar ainda mais no clima!

Como alugar bicicletas em São Paulo

Novos sistemas permitem aluguel de bicicletas a partir de 8 reais.

Nos últimos anos, a mobilidade urbana em São Paulo ganhou a atenção de autoridades e a bicicleta surgiu como prioridade: ciclovias foram construídas, pensando na integração com o transporte público, além de um sistema de aluguel de bicicletas.

Recentemente, o prefeito de São Paulo, João Dória, reformulou o sistema de aluguel de bicicletas na capital paulista, abrindo novas possibilidades de uso.

Veja o passo a passo para alugar sua bicicleta da maneira mais fácil possível pelo BiKe Sampa:

Primeiro, baixe o app Bike Itaú ou entre no site

No mapa, procure por uma estação com bicicletas disponíveis e clique em desbloquear bicicleta.

Se você já está logado (a), basta conectar. Caso ainda não tenha cadastro, compre um plano e efetue seu cadastro.

O plano diário no valor de R$8,00 dispõe a bicicleta por 24 horas para o usuário, mas atenção: o uso direto dela se dá por uma hora, é preciso devolve-la em alguma estação ou pagar R$5 por hora adicional.

Os planos quinzenal, mensal e anual seguem a mesma lógica, nos valores R$15, R$20 e R$160, respectivamente.

Não tenho cartão de crédito e gostaria de pagar no dinheiro, é possível?

Sim, é possível!

No novo sistema de bicicletas públicas de São Paulo, é possível efetuar o pagamento via dinheiro, em um Posto de Atendimento, na rua José Bento, 314.

Como retiro a bicicleta?

Para retirar as bicicletas use o código disponibilizado pelo app, seu cartão do usuário Bike Sampa ou seu Bilhete Único. Basta digitar o código ou passar o cartão previamente cadastrado na vaga da bicicleta escolhida!

Você obtém o código ou cadastra seu Bilhete Único/Bike Sampa pelo site ou aplicativo Bike Itaú.

Multas:
São cobrados R$5 caso o uso da bike ultrapasse 1 hora ou se, ao retirar uma nova, o usuário não tenha esperado ao menos 15 minutos.

Estações:

Atualmente, são 260 estações com 2600 bicicletas. O sistema está em expansão, portanto, esse número aumentará em breve!

Para acessar as Estações de retirada e entrega das bikes acesse o site.

Alugar bicicletas sem estações: novidade em SP

Ainda em fase de testes, a brasileira Yellow quer trazer para o país um modelo de aluguel de bikes praticado no exterior. No modelo não existem estações, como no Bike Sampa citado acima.

Sendo assim, você pode deixar a bicicleta em algum dos pontos indicados pelo app e seguir sua vida. Para retirá-las, efetue o pagamento no aplicativo e utilize o código disponível no celular para desbloquer a bike.

Divulgação / Yellow

Além da Yellow, Settel, Mobike e Trunfo também foram credenciadas pela Prefeitura de São Paulo e começarão seus serviços na capital paulista em breve.

A expectativa é que até o final do ano 80 mil bicicletas compartilhadas nesse modelo estejam rodando pela cidade. Por fim, integração com o Bilhete Único também está nos planos das empresas.

Conheça o Bipay, assistente virtual que recarrega seu Bilhete Único

O assistente virtual Bipay é a nova solução para recargas em São Paulo

Se você é usuário do transporte público em São Paulo já deve ter encontrado grandes filas para recarregar seu Bilhete Único, seja em terminais de autoatendimento ou nas bilheterias.

E isso é um tédio.

Com o sucesso dos smartphones, novas aplicações online surgiram para facilitar esse processo; diversos aplicativos hoje fazem a recarga do Bilhete Único.

Infelizmente, é preciso disponibilizar uma parte da memória do celular para esses apps, o que pode ser um problema quando estamos cheios de aplicativos mais importantes.

Por isso, surgiu a página Bipay, o assistente virtual desenvolvido pela ONBOARD, que faz a recarga do Bilhete Único pelo Facebook. O objetivo é facilitar todo esse processo e você ter mais espaço pra tirar aquelas fotinhos bacanas.

Basta chamar o Bipay para uma conversa no chat da página, fazer seu cadastro e efetuar a recarga com pagamento por cartão de crédito. Bilhetes Mensais e Diários também podem ser comprados.

Depois de fazer o cadastro, selecione a opção de recarga do Bilhete Único

E o Bipay não dorme, ok? Você pode comprar passes a hora que quiser!

Além da recarga do Bilhete Único, pela página Bipay você pode também fazer o pagamento da taxa de revalidação estudantil.

Abaixo, dúvidas e respostas que podem surgir:

O que é um assistente virtual?

Um assistente virtual, também conhecido como chatbot, é um programa que nos auxilia em diversas funções, como fazer uma compra ou obter uma informação. Pode ser desenvolvido para diferentes plataformas, entre elas o Facebook. O Bipay conversa contigo e rapidinho tira suas dúvidas sobre o Bilhete Único e o recarrega.

É seguro recarregar pelo Facebook?

A ONBOARD, por meio de seu serviço Bipay, atende à todos os protocolos de segurança exigidos pelo mercado. Para comprovar a autenticidade, clique no cadeado na barra de endereços.

Vale lembrar que nenhum dado de cartão é armazenado ou fica registrado na conversa, tá?

O Facebook fica com meus dados?

Os dados de pagamento não ficam no histórico do chat, e não são armazenados por Facebook ou Messenger. Esses dados são armazenados pelo adquirente da ONBOARD, seguindo rígidos padrões de segurança da indústria de pagamentos

Que tipos de bilhete podem ser recarregados?

Os Bilhetes comuns, estudante e temporais, além dos bilhetes de idoso, obesos, gestantes e anônimo. Excepcionalmente no mês de fevereiro, será possível pagar a Taxa de Revalidação Estudantil. Além do celular pré-pago das principais operadoras do país.

Os créditos caem na hora?

No geral, sim, basta validá-los em um terminal de recarga, nas estações de ônibus, metrô, estabelecimentos credenciados ou dentro dos ônibus que possuem a recarga embarcada. Porém, como isso depende também do sistema da SPTrans, algumas recargas podem demorar até 48 horas para estarem disponíveis, embora não seja o mais comum. 

Como faço o cadastro?

Siga as instruções do Bipay, informe seu CPF, e-mail e número do Bilhete Único. É preciso informar também os dados de pagamento. Ademais, não é necessário informar outros dados para o assistente.

Quem é a ONBOARD?

A ONBOARD é a desenvolvedora do Bipay e uma das startups mais conceituadas em mobilidade urbana, cidades inteligentes e meios de pagamento. Tendo passado por MobiLab (Prefeitura de São Paulo), Ahead Visa (Startup Farm/Visa), Edenred (Ticket Serviços) Ford Fund Lab (Artemisia/Ford).

E sido reconhecida por alguns prêmios:

Demoday e do People Choice Awards do Ahead Visa;

Desafio Smart City Business em Curitiba;

Desafio Connected Smart Cities em São Paulo;

Desafio Experimenta mobilidade Urbana de Guarulhos;

Destaque no programa de aceleração em negócios de impacto social da Artemisa com a Ford Fund Labs

Dúvidas? Nos envie um e-mail falecom@bipay.com.br

E curta nossas páginas no Facebook: OnBoard Mobility & Bipay

Só quem é muito moderninho (a) consegue fazer mais de 8 pontos nesse teste.

Hoje em dia, é cada vez mais comum surgirem novas soluções para facilitar nossas vidas e nos deixar com a pergunta na cabeça: “como a gente vivia antes disso?”.

Mas será que você realmente tá ligado nas facilidades que tomaram conta de nossas vidas? Responda o quiz abaixo pra saber aonde ainda é possível inovar.

Cada alternativa selecionada vale 1 ponto, vamos lá:

[wp_quiz id=”96″]